sexta-feira, 23 de setembro de 2011


Abuso
Comando do Gate é suspeito de desvios
Considerado o grupo de elite da Polícia Militar de Minas, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) é alvo de graves denúncias de improbidade administrativa e assédio sexual. As suspeitas recaem sobre o comandante do Gate, o tenente-coronel Marcelo Vladimir Correia, e o subcomandante major Ledwan Salgado Cotta.
Os dois foram ouvidos na manhã de ontem durante uma audiência pública na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas. De acordo com o deputado sargento Rodrigues (PDT), que convocou a reunião, as ações de improbidade teriam sido praticadas por Cotta e incluem a contratação da obra de reforma de um banheiro e da cozinha do Gate no valor de R$ 50 mil. A reforma, no entanto, não teria sido realizada. Outra suspeita é de que os militares tenham feito a transferência irregular de 14 homens para outras unidades, além de terem assediado sexualmente outros dois militares.
Na audiência, foi aprovado um requerimento pedindo o afastamento de Cotta. O documento foi encaminhado ao Ministério Público Estadual. Os militares não foram encontrados para comentar o caso. O corregedor da Polícia Militar, coronel Hebert Fernandes Souto Silva, prometeu apurar as denúncias.
Fonte: Jornal O TEMPO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não pratique a incitação ao crime, emita sua opinião, concorde ou discorde livremente. Comentários com ofensas pessoais serão removidos!